gratta-180x90

Seguro Notícias

O seu portal de seguros

Consórcio se torna opção para investimento em meio à crise

27 de setembro de 2015

Com aumento nos juros para financiamento imobiliário, consórcio se torna cada vez mais opção dos brasileiros para investimento em meio à crise

Especialista do BB E MAPFRE esclarece as principais dúvidas sobre a apólice.

Comprar um imóvel por meio de financiamento imobiliário está cada vez mais difícil, e para piorar, a Caixa Econômica Federal, principal instituição financeira do segmento, divulgou nesta semana que vai aumentar os juros para financiar a casa própria. Em 2015 esta é a terceira vez que o banco eleva as taxas. O anúncio prova com ainda mais veemência que o a opção de adquirir imóveis por meio de carta de crédito, ou seja, consórcio, é a mais vantajosa para quem sonha em ter um lar para chamar de seu. Prova disso é que a modalidade, na qual o cliente adquire uma carta de crédito que pode ser utilizada para compra da casa, apartamento, e terreno, além de reforma ou construção, vem, desde o inicio de 2015 registrando aumento.

Segundo dados da Abac (Associação Brasileira de Administradores de Consórcio), as cotas para compra de imóveis registraram um aumento de 40% nas vendas e 42,6% em créditos comercializados nos seis primeiros meses do ano, com mais de um milhão de novas adesões em todo o país. Se levarmos em conta apenas o mês de julho, as vendas de novas cotas de consórcios neste segmento somam mais de 50% em relação ao mesmo período de 2014.

No Consórcio Luiza, que pertence ao grupo Magazine Luiza, esse número foi ainda maior. A empresa registrou um aumento de 55,2% em novas cotas e 90,9% em créditos entre janeiro e junho.

Em julho, o crescimento também foi expressivo, com 52,6% em novas cotas e 85,2% em créditos vendidos. No último mês, agosto, comparado ao mesmo período do ano anterior, a quantidade de cotas aumentou 35% e o volume de créditos em 50,4%.

Segundo Edna Maria Honorato, diretora do Consórcio Luiza, esse resultado deve-se à mudança no padrão de escolha do consumidor, que está mais consciente e quer fazer compras mais planejadas neste momento de recessão econômica. “O consórcio não é atingido pela elevação dos juros, e em época em que uma das principais instituições financeiras do país no segmento de financiamento de imóveis anuncia, pela terceira vez em menos de um ano, aumento nas taxas, as pessoas passam a buscar alternativas mais acessíveis”, afirma.

Fonte: Agência A Fonte