gratta-180x90

Seguro Notícias

O seu portal de seguros

Três helicópteros da PM em SC estão parados por seguro atrasado

21 de setembro de 2017

Por G1 SC

Três helicópteros da Polícia Militar de Santa Catarina estão parados por atraso nos seguros e falta de peças. Outro problema que afeta também o serviço das aeronaves no estado é a falta de combustível, segundo a Associação dos Praças de SC (Aprasc), como mostrou o Jornal do Almoço desta quarta-feira (20). Os três helicópteros ficam em Florianópolis, em Lages, na Serra, e em Joinville, no Norte do estado.

A Secretaria da Fazenda informou que está mantendo o cronograma de repasses e que nesta semana repassou R$ 800 mil para a Polícia Militar. A PM confirmou o recebimento do recurso e disse que na terça (19) fez uma licitação para renovar o seguro, mas não informou quando estará em dia, se vai comprar as peças e também não se manifestou também sobre a falta de combustível. A Secretaria Estadual da Segurança Pública não se posicionou sobre a situação.

Em Joinville, a aeronave já está parada há mais de um mês, desde 15 de agosto. Segundo a PM, o helicóptero e mais dois aviões estão com o seguro atrasado. Seriam necessários R$ 400 mil por aeronave para fazer a renovação. Na região, o helicóptero atende 44 cidades com uma média de duas ocorrências por dia, entre elas localização de criminosos, apoio a operações e é fundamental também em resgates e transporte de pessoas feridas em acidentes.

Já em Lages, o helicóptero da PM está parado desde sexta-feira (15). O último atendimento foi na quinta-feira no combate a um incêndio próximo da BR-116, em Santa Cecilia. Em nota, o governo do estado disse que o helicóptero está sem voar por causa da manutenção programada e obrigatória para troca de uma peça que vem dá França, mas não deu prazo para que essa troca ocorra.

A maior preocupação é porque esse helicóptero atende 18 cidades na Serra. Entre os atendimentos está o resgate de pessoas em perigo, como por exemplo o caso da criança de 6 anos caiu de um penhasco na Serra do Rio do Rastro e foi salva com o trabalho desse helicóptero e dos policiais. Além disso, o helicóptero também faz o transporte de doentes graves, que precisam de atendimento rápido.4

Em Florianópolis o helicóptero e aeronaves da PM estão no chão porque faltam peças para o Águia 02.

“O governo do Estado tem demorado a repassar o dinheiro na quantidade suficiente para suprir as necessidades da polícia e uma da vitimas é o Batalhão de Aviação agora, mas outros setores dentro da PM estão carecendo de verbas, dentre eles a questão de fardamento e manutenção, inclusive, de viaturas”, afirmou à reportagem Edson Fortuna, presidente da Aprasc.