gratta-180x90

Seguro Notícias

O seu portal de seguros

Sompo aciona plano de contingência em Curitiba

31 de maio de 2019

Rajadas de vento de 80,6 km/h, fortes chuvas e granizo resultaram em destelhamento de casas e quedas de galhos de árvores em diversos bairros da capital paranaense

A Sompo Seguros S.A., empresa do Grupo Sompo Holdings – um dos maiores grupos seguradores do mundo, estabeleceu uma ação de contingenciamento para atender às ocorrências relacionadas aos sinistros que venham a ser registrados por conta das fortes chuvas, rajadas de ventos, alagamentos e quedas de árvores que aconteceram em Curitiba na madrugada e manhã desta quinta-feira, dia 30. “Nossa equipe da área de Sinistros já conta com um plano de contingência para que possamos trabalhar com prioridade máxima ao atendimento nesses casos. A ideia é agilizar o processo de indenização e contribuir para que a situação dos segurados volte à normalidade o mais rápido possível”, considera Andreia Paterniani, diretora da área de Sinistros da Sompo Seguros.

Segundo informações da Prefeitura de Curitiba (PR), a cidade foi atingida por fortes chuvas e rajadas de vento que chegaram a 80,6 km/h. Desde a madrugada até a manhã de quinta-feira, dia 30, foram registrados 21,6 milímetros de chuva. Em algumas regiões também foram registradas chuvas de granizo. Até às 14h00 do dia 30, a Central 156 do município recebeu 118 pedidos de retirada de galhos de árvore caídos pela cidade em bairros como Uberaba, Jardim das Américas, Santa Quitéria, Mercês, Hauer, Água Verde, Bogorrilho, Cajuru e Boa Vista. A Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil de Curitiba recebeu 150 pedidos de lona por conta de destelhamento de casas em bairros como Cajuru, Boqueirão, Boa Vista e Portão.

“Ainda é cedo para avaliar, mas já acionamos nosso plano de contingência para que os circunstanciais efeitos desse evento sejam tratados da forma mais célere possível. Alguns especialistas da nossa equipe foram deslocados para a região a fim de dedicar esforços exclusivos ao atendimento dos locais atingidos, com o propósito de prestar o mais rápido e efetivo atendimento aos nossos segurados e imediata indenização, que no mercado de Seguros é conhecido como ‘liquidação de sinistro’”, observa Alexsandro Nascimento Silva, gerente de Sinistros Massificados da Sompo Seguros.

Histórico

Não é a primeira vez que a Sompo estabelece uma estrutura especial para atendimento emergencial de sinistros relacionados a fenômenos climáticos. Em outubro de 2018, São Paulo (SP), Campinas (SP), Piracicaba (SP), Uberlândia (MG), Londrina (PR) e Maringá (PR) foram algumas das cidades atendidas em decorrência de chuvas e quedas de árvores. Em março do mesmo ano, a Região Metropolitana de São Paulo foi atingida por fortes chuvas que resultaram em mais de 1,2 mil ocorrências atendidas pelo Corpo de Bombeiros. Em Fevereiro, havia sido o Rio de Janeiro (RJ) a cidade a contar com o atendimento especial por conta de fortes chuvas que aconteceram no dia 15. Em anos anteriores, também situações semelhantes aconteceram em cidades como Porto Alegre e do interior de São Paulo, por exemplo.

Coberturas

Ocorrências de chuva de granizo e de queda de galhos de árvore sobre o veículo estão contempladas na cobertura compreensiva do seguro Automóvel.

Já as ocorrências de destelhamento de imóveis causados por vendaval e danos causados diretamente por granizo estão contempladas na cobertura de Vendaval, Furacão, Ciclone, Tornado, Chuva de Granizo e Fumaça, que é uma cobertura adicional contemplada em modalidades de seguro como Residencial, Empresarial Super, Empresarial Simplificado e Condomínio. Esta cobertura garante, até o Limite Máximo de Indenização (ou LMI, que é o valor máximo de indenização estipulado na apólice), a indenização por perdas e danos materiais diretamente causados aos bens segurados por vendaval, furacão, ciclone, tornado, granizo e fumaça. Vale destacar que, tecnicamente, é considerado vendaval o “vento tempestuoso, com velocidade igual ou superior a 15 metros por segundo”, ou seja, 54 quilômetros por hora.

“O seguro tem uma função social importante e, só no ano passado, o segmento devolveu mais de R$ 36,2 bilhões à sociedade em forma de indenizações por conta de sinistros na área de Ramos Elementares, que contempla os seguros de Automóvel, Residencial, Empresarial, Condomínio, Responsabilidade Civil, entre outros. Cada vez mais as pessoas estão percebendo a relevância do seguro para garantir o pronto restabelecimento de sua situação financeira caso uma eventualidade aconteça”, avalia Andreia.

 

Fonte: Assessoria