gratta-180x90

Seguro Notícias

O seu portal de seguros

Seminário Cidades I Percepção e Comunicação acontece dia 4/10

03 de outubro de 2017

No dia 4.10 acontecerá o seminário “Cidades | Percepção e Comunicação” no Instituto Moreira Salles, em São Paulo. Participarão de um amplo debate os jornalistas Fernando Serapião (Monolito), Luciano Cury (Canal Arte1), Marcelo Moura (Época), Mariana Barros (Esquinas), João Gabriel de Lima (ex- Diretor da Época e Bravo) e Raul Juste Lores (Folha de S.Paulo), mediados por Tomas Alvim, cofundador do Arq.Futuro, plataforma de discussão sobre as cidades.

O seminário pretende responder a algumas perguntas: qual é a imagem de cidade hoje prevalente no senso comum do brasileiro? Como a imprensa contribui para a construção dessa imagem? Como está sendo feita a comunicação sobre cidades? Ao buscar respostas para esses questionamentos, o seminário discutirá de forma ampla o papel de jornalistas e profissionais de comunicação na percepção do público sobre as cidades e na formação de cidadãos conscientes e participativos.

As cidades são descritas como a melhor invenção da humanidade por especialistas como Edward Glaeser, professor de economia em Harvard. Ainda segundo Glaeser, os agrupamentos urbanos constituem uma das formas mais eficientes de distribuição de riqueza, e não é por acaso que concentram, hoje, a maior parte da população mundial. Ao mesmo tempo, a importância das cidades para o desenvolvimento econômico e social não exclui a existência de problemas. Exatamente por concentrarem grandes populações, as cidades enfrentam dificuldades e são palco de conflitos. No Brasil, elas ainda apresentam questões primárias, herdadas do apressado processo de urbanização do século XX, que convivem com as conquistas do século XXI, como o acesso amplo à tecnologia e às redes de informação.

“Para os profissionais de mídia, o desafio é apreender essa realidade contraditória e compreender, filtrar e hierarquizar a imensa quantidade de dados hoje produzidos; é distinguir fato de interpretação, aprofundando análises. Se a cidade é complexa, cabe à imprensa ajudar a entender as diferentes forças que a compõem. Órgãos e profissionais de comunicação e mídia carregam a responsabilidade não apenas de divulgar informação, mas também de compor uma agenda pública, determinando o que é discutido e o que não é, o que é percebido como problema e o que não é”, afirma Tomas Alvim.

Durante o seminário também serão apresentados os 20 primeiros vídeos da série “Cidade | Cidadão”, produzida pelo Arq.Futuro, que apresenta os principais desafios enfrentados pelas cidades e as soluções propostas pelo urbanismo contemporâneo. A série nasceu da constatação de que o conceito de cidade é ainda pouco compreendido por grande parte do público, para quem a vida urbana é marcada pela desconexão entre indivíduo e espaço coletivo. Pretende-se, assim, lançar uma provocação, incentivando os espectadores a refletir sobre o papel fundamental das cidades na distribuição de riqueza e democratização no acesso a oportunidades, e propondo um debate aprofundado sobre a realidade urbana do país.

Os vídeos, em motion graphics e linguagem acessível e produzidos pela Electromagneti.co, apresentam a principal qualidade das cidades, que as torna polos de atração desde o seu surgimento: as cidades são o local dos encontros, da pluralidade, do convívio da diferença. Nos vídeos, também são explicados conceitos centrais do urbanismo – em especial os mais pertinentes para a compreensão dos problemas e oportunidades das cidades contemporâneas. Entre os temas abordados estão espaço público, planejamento, saneamento, ruas, calçadas, adensamento e espraiamento, patrimônio histórico, vazios urbanos, mercado imobiliário e mobilidade.

“O nosso objetivo é usar diferentes linguagens para alcançar um público amplo, que inclui também crianças e jovens, contribuindo para a formação de uma geração comprometida com a participação nas questões urbanas do século XXI. Tornando acessíveis as reflexões da vanguarda do urbanismo, buscamos mostrar que todos podem entender a origem dos problemas urbanos e discutir os caminhos para sua solução”, avalia Alvim.

Seminário “Cidades I Percepção e Comunicação”

Lançamento série “Cidade I Cidadão”

Local: Auditório do Instituto Moreira Salles

Data: 04/10

Horário: 10h às 13h

Click aqui para se inscrever. 

Debatedores Convidados:

– Fernando Serapião (Monolito)

– Luciano Cury (Canal Arte1)

– Marcelo Moura (Época)

– Mariana Barros (Esquinas)

– Raul Juste Lores (Folha de S.Paulo)

– João Gabriel de Lima (ex- Diretor da Época e Bravo)

Sobre o Arq.Futuro  www.arqfuturo.com.br

O Arq.Futuro – plataforma de discussão sobre o futuro das cidades – traz ao público brasileiro as mais importantes personalidades, inovações e projetos de arquitetura e urbanismo da atualidade, com o objetivo de contribuir para a melhoria do ambiente construído e da qualidade de vida nas cidades do Brasil. O conteúdo é produzido em diversos meios: palestras, debates, vídeos, artigos e livros. A equipe também atua diretamente em consultorias para empresas, associações de bairro e organizações sem fins lucrativos em projetos de regeneração territorial e urbana. Ao mesmo tempo em que promove a preservação do patrimônio arquitetônico brasileiro, o Arq.Futuro propõe um diálogo sobre o desenho e a gestão das cidades. Essa discussão é particularmente importante porque grande parte da população brasileira não dispõe de meios para participar efetivamente das decisões de planejamento urbano. Ao envolver o público na discussão sobre arquitetura de qualidade e a necessidade de melhores investimentos em infraestrutura e serviços, o Arq.Futuro cultiva uma base local de conhecimentos sobre inovação em arquitetura e urbanismo no país e na América Latina. Vários dos arquitetos, economistas, empresários mais influentes do país e do mundo têm se reunido com formadores de opinião e atores políticos nos eventos do Arq.Futuro. Alguns dos temas debatidos são: habitação, transporte e infraestrutura; educação em arquitetura e urbanismo; engajamento do público no desenvolvimento urbano; impacto de novas tecnologias nas formas de viver nas cidades; caminhos para promover a construção do novo e a preservação do patrimônio cultural; e a diferença entre tendências passageiras e valores permanentes em arquitetura. Para 2017, tem como temas principais as águas urbanas, a mobilidade urbana e os espaços públicos.

 

Fonte: Cobogó

ALE