gratta-180x90

Seguro Notícias

O seu portal de seguros

Porto de Maceió passa a ter operação de logística offshore

23 de setembro de 2021

MOL vai ser braço de apoio ao trabalho de exploração de petróleo em águas marinhas

Agora é oficial: a Maceió Offshore Logística vai utilizar a estrutura do Porto de Maceió para oferecer apoio operacional ao projeto de exploração e prospecção de petróleo e gás a ser desenvolvido em águas marinhas. A solenidade aconteceu nesta quinta-feira com a assinatura do contrato com a Nitshore Engenharia e Serviços Portuários, uma das maiores empresas no setor em todo o país. A navegação de apoio marítimo offshore fornece o apoio logístico às unidades de exploração e produção de petróleo, levando os insumos necessários a suas operações e prestando diversos serviços.

Essa iniciativa vai gerar um ciclo de desenvolvimento na região, com novos empregos, maior arrecadação e atração de outros negócios com empresas que integrem a cadeia de serviços que compõem a atividade offshore no país. Estiveram presentes o administrador do Porto Dagoberto Omena; o diretor superintendente da Nitshore, Paulo Falcone; o acionista do Grupo Shore, Gilson Ribeiro; o deputado Sérgio Toledo; o presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Victor; e os deputados Paulo Dantas e Cibele Moura, além de diversos prefeitos, empresários e autoridades da área naval.

O administrador Dagoberto Omena explicou o contrato enfatizando a força da parceria com a iniciativa privada, consistindo no uso temporário, na exploração de áreas e instalações portuárias, as quais serão destinadas às atividades de atendimento e apoio logístico offshore. “Vamos gerar mais empregos e trazer mais recursos para Alagoas. Temos um Porto bem no meio da cidade, temos 50 hectares de área, excelência na exportação de açúcar e destaque na importação de sal e na gestão de combustíveis”.

Ele aproveitou a solenidade para anunciar que em cerca de 30 dias terá a conclusão do terminal de passageiros do Porto, um antigo sonho que vai ampliar a chegada de turistas na capital. “Temos uma equipe de profissionais dedicados neste Porto e que fazem um trabalho diferenciado buscando sempre alcançar a excelência da gestão. Agradeço muito pela confiança que eles depositaram no meu trabalho”, adiantou.

O deputado federal Sérgio Toledo aproveitou para destacar o trabalho que tem feito em Brasília buscando contribuir com o crescimento de Alagoas. Ele lembrou que o povo alagoano gosta de trabalhar e a chegada de bons projetos agregam mais valores ao Estado. Toledo enfatizou a importância da parceria entre o Porto de Maceió e a Nitshore que permitiu o início da operação da MOL. “Estivemos reunidos para avaliar a possibilidade dessa parceria e mostramos todas as vantagens que a empresa teria investindo em Alagoas. No longo prazo, teremos mais empregos e desenvolvimento na nossa região”, garantiu.

Representando o governador, o secretário estadual de Infraestrutura, Maurício Quintella, a MOL vai trazer crescimento e novos negócios para Alagoas. O secretário lembrou dos tempos em que foi ministro dos Transportes e que ampliou o calado do porto, permitindo uma profundidade maior, um dos primeiros passos para que novas empresas pudessem aportar em Maceió. Maurício ainda elogiou a presença no evento do consultor Aluísio Sobreira, um dos maiores especialistas em portos no país. Isso pode trazer muito para Alagoas. Os estudos apontam que temos uma mina na costa Alagoas e Sergipe. É muito grande a possibilidade de acharmos óleo e gás”, afirmou.

Funcionamento da MOL traz qualidade dos serviços da Nitshore

O diretor da Nitshore, Lucas Ribeiro, apresentou a história da empresa e o projeto destacando que pretendem trazer pra o nordeste a mesma forma de operação desenvolvida no Rio de Janeiro, inclusive com a movimentação de carga através de navios menores até as plataformas em alto mar. “Crescendo a extração podemos trazer até mesmo as plantas de fluídos para aumentar a produtividade. Temos essa capacidade com equipamentos próprios, inclusive, estaremos instalando guindastes, até um com capacidade para 250 toneladas”, destacou.

O superintendente Paulo Falcone pontuou que a MOL tem tudo para ser a melhor base do Nordeste offshore tamanha a capacidade que encontrou em Maceió, que o fez abrir mão de instalar os trabalhos em outro local. Ele relatou suas origens no nordeste e que se tornou um engenheiro focado em resultados que possam mudar a história, como o início da operação no do porto. A empresa oferece atividades de movimentação de cargas, alfandegamento para importação e exportação, armazenagens, tancagens de fluidos, abastecimento de água e combustíveis, gerenciamento de resíduos e reparos navais.

O acionista Gilson Ribeiro bastante emocionada relatou a luta diária que é empreender no Brasil, observando o tempo recorde em que durou a negociação para conclusão do contrato. Ele discursou agradecendo o início da parceria e reforçando que optou pelo Porto de Maceió pela qualidade do que encontrou, além do calor humano e da receptividade do povo alagoano. O empresário afirmou que o porto é uma atividade que atrai muitos outros serviços e que o início da operação offshore vai gerar mais empregos, até mesmo com outros serviços da cadeia como suprimentos, carga, transportes, hotelaria, alimentação, entre outros. “Uma empresa tem que ajudar a melhorar a qualidade de vida das pessoas. A MOL será um orgulho para todos os alagoanos”, acrescentou.