gratta-180x90

Seguro Notícias

O seu portal de seguros

O otimismo nos leva até Natal

07 de junho de 2016

ConsegPrezados colegas, estamos bem próximos de participar do 1º Congresso de Corretores de Seguros do Nordeste (1º Conseg-NE). O evento, que terá como tema “Os desafios do setor de seguros e o fortalecimento do mercado na região”, acontecerá entre os dias 9 e 10 de junho em Natal (RN). O encontro nasce como desafio, por ser o primeiro e também como jornada por apresentar para o bom debate uma série de obstáculos que estão surgindo no dia a dia da nossa região. O objetivo da Fenacor em coordenar este movimento é de levar aos profissionais reflexões sobre o momento atual e qual deve ser o foco em cada estratégia de trabalho daqui para frente.

Como diria Winston Churchill, então primeiro-ministro inglês durante a 2ª Guerra Mundial, “o pessimista vê dificuldade em cada oportunidade; o otimista vê oportunidade em cada dificuldade”. Digo isso para embasar meu raciocínio, pois nos últimos anos, nos grandes centros urbanos, os profissionais mudavam rapidamente de emprego, atraídos por melhores salários e condições de trabalho favoráveis. Eram comuns as queixas de empresários quanto à rotatividade dos trabalhadores, que forçava as empresas a oferecer sempre maiores benefícios.

Com a crise o cenário do mercado de trabalho então mudou e hoje a luta é para se ficar no emprego. O Nordeste, por exemplo, que crescia num ritmo chinês, agora puxou o freio de mão e a redução no número de clientes em algumas áreas, como por exemplo, no auto já é perceptível. No entanto, a nossa profissão aprendeu a conviver com a adversidade. A evolução do segmento de seguros, diante de quaisquer circunstâncias, foi sempre positiva, devido ao trabalho dinâmico de todos os profissionais envolvidos na cadeia produtiva.

Buscar novos nichos, manter o espírito empreendedor com o foco no retorno e sustentabilidade são ingredientes fundamentais da receita para superar este momento difícil. O cliente que antes visava o auto, hoje está mais preocupado em garantir a proteção do lar ou do futuro da família caso fique ausente. E porque não falar nas empresas? Que precisam de proteção contra incêndios ou infortúnios da natureza. E os novos ricos? Que aproveitaram o boom da economia e hoje querem ter protegido o patrimônio que recentemente foi adquirido. Eles têm jóias, obras de arte e carros importados. O seguro está ai, e é preciso ser dito.

Então, refletindo sobre o universo da nossa profissão pontuo ainda que precisamos nos ater mais à gestão empresarial na forma como tratamos os nossos clientes. Nosso combustível para satisfação pessoal e profissional. Sem contar que a categoria acerta ao fazer um congresso regional, pois os problemas e as soluções nordestinas têm suas peculiaridades, bem diferentes das do eixo Rio-SP ou as do Centro-Sul. Nossas características compartilhadas podem trazer saídas mais viáveis do que as fórmulas oferecidas por quem não conhece o sol sertanejo ou a brisa da nossa linda costa.

Este, portanto, é um evento propício para reflexões, na tentativa de errar menos e acertar mais. Para aquele corretor que segue com esperança de faturar mais, e precisa de apoio e dicas que possam favorecer a ampliação da sua rede de contatos e o conhecimento teórico, sempre fundamental nas negociações com pequenos ou grandes clientes. Essa viagem até Natal será aquela boa e velha “reciclagem”, tema que foi tratado com exaustividade no início da última década, e que alguns deixaram um pouco de lado após o rápido crescimento do setor antes da crise econômica. Para superar desafios precisamos atuar juntos e preparados. Sejamos otimistas. Vamos para Natal.