gratta-180x90

Seguro Notícias

O seu portal de seguros

Mercado de seguros cresce no Nordeste

30 de outubro de 2019

Região vem mudando a cultura e adquirindo cada vez mais produtos

Repórter Alexandre Lino

Presidente da Fenacor, Armando Vergílio | Foto: Fagno Pinto

Quando o presidente da Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor), Armando Vergílio, deu iniciou ao 21º Congresso Brasileiro de Corretores de Seguros, na Costa do Sauípe na Bahia, já se sabia que a região Nordeste vivia um novo momento no mercado segurador brasileiro. Hoje, ela corresponde a 9% do mercado brasileiro, segundo a última pesquisa “Análise Estatística – Fenacor”, que analisa a evolução mensal do mercado de seguros brasileiro, com enfoque no desempenho dos estados e regiões, com base em dados oficiais da Susep. Os dados até parecem pequenos, mas na verdade apontam um cenário de crescimento que consolida a mudança na cultura dos clientes da região.

Para se ter ideia, mais de 3,6 mil pessoas participaram do evento, sendo que mais da metade deles corretores – que trouxeram também diretores das principais seguradoras. O evento que teve a força das paisagens paradisíacas trouxe ainda outro forte indicador: as seguradoras buscando se firmar na região onde o segmento mais cresce, chegando quase a 30% em relação ao cenário pré-crise, conforme dados da própria Superintendência de Seguros Privados (Susep).

Vários motivos explicam todo esse crescimento, mas o principal é que as pessoas buscam mais estabilidade, até porque, todos querem estar seguros, tentando evitar situações desagradáveis durante a recessão econômica. “Perder uma casa ou um carro agora pode gerar um problema muito maior, então muita gente está contratando seguro. Os clientes afirmam que não vêem a contratação como um gasto extra, mas sim, um investimento”, como explica o consultor financeiro Erlon Barros.

Os corretores de seguros já perceberam que o Nordeste é a região com maior potencial de crescimento do setor de seguros, e por isso tem muito a crescer, principalmente no ramo de pessoas, já que é pouco explorado pelos corretores de seguros que, na sua grande maioria, comercializam apenas o seguro de automóvel, como explica o professor Maurício Tadeu, da Escola Nacional de Seguros. Ele chama atenção que os corretores já visualizam a importância da diversificação das suas carteiras, consolidando um excelente resultado para reverter, por exemplo, o quadro de 80% da população brasileira que não possui seguro de vida. “São milhões de pessoas desprotegidas por não terem está importante e necessária proteção”, contou.

Vencendo a crise econômica, o mercado de seguros do Brasil vive um momento de grande expansão e diversificação. O fechamento dos números do ano passado apontaram bem isso. Em 2018, a receita anual foi de para 449,9 bilhões de reais; um salto em relação aos 292,5 bilhões de reais em 2013, segundo dados da Confederação Nacional das Seguradoras (CNSeg). Se há seis anos o setor respondia por 5,5% do Produto Interno Bruto, há um ano a representatividade alcançou a marca de 6,6%. Esse crescimento ocorre, em grande parte, porque o brasileiro está descobrindo que esse mercado vai muito além do seguro automotivo.

Corretor de seguros, Otávio Vieira Neto

E parte dessa mudança vem da inclusão do consumidor nordestino no que se refere a aquisição de seguros está se consolidando culturalmente. “Os clientes estão mais conscientes da importância de se proteger e desenhar uma sucessão familiar sem sustos. Os corretores estão cada vez mais treinados em orientar, planejar, conscientizar para que serve cada produto. Graças aos incentivos das seguradoras, através de campanhas e treinamentos, as famílias estão tendo a oportunidade de ficar mais protegidas”, explicou o corretor de seguros Otávio Vieira Neto.

Seguradoras estão de olho na fatia do mercado nordestino

A Mapfre, por exemplo, perceber a importância da região para o crescimento do seguro empresarial. A superintendente executiva de Seguros Gerais da Mapfre, Patricia Siequeroli, explica que as empresas de pequeno e médio porte do Nordeste vêm profissionalizando a sua gestão e estão mais atentas quanto à importância estratégica de uma proteção para garantir a continuidade do negócio diante de eventualidades. “Os empresários perceberam que a prevenção de incidentes futuras é algo que precisa estar no plano de negócio desde o começo, pois desta forma eles não estarão expostos as adversidades, como um incêndio, por exemplo, que pode comprometer todo o investimento já realizado no negócio”, destacou.

A Tokio Marine preferiu fortalecer o ramo de seguro para automóveis. Em 2017,visando suprir a crescente demanda por opções mais baratas, eles lançaram nas regiões metropolitanas de Fortaleza e Recife o seguro Auto Popular. Com a mesma qualidade do seguro tradicional, porém com preços inferiores e destinado a carros e motos com mais de cinco anos, ela se expandiu por todo o Nordeste. “Quando olhamos para o segmento de seminovos, o nosso crescimento foi de 12,9% no primeiro bimestre de 2019, em decorrência de nosso amplo portfólio, principalmente nos produtos cujo apelo de preço é maior, como o Auto Popular. No primeiro ano de comercialização do produto, 90% das contratações foram feitas por clientes que antes não haviam tido a oportunidade de adquirir um Seguro”, comentou Luiz Padial, diretor de automóvel da Tokio.

O diretor executivo da Sompo Seguros, Adailton Dias, contou ao Seguro Notícias que a empresa traz bastante inovação para o mercado. “Estamos trazendo bastante inovação no que diz respeito a produtos, atuando com seguro empresarial e residencial, além do seguro de vida para empresas e o individual. Nós da Sompo estamos investindo cada vez mais no Nordeste porque é uma região em constante crescimento. Estamos impressionados com o mercado da região, que adquire o produto, quando conhece os seus detalhes”, disse o diretor. “Temos todo um esforço para prestigiar os corretores do Nordeste. Acompanhamos nossas filiais aqui na região e temos certeza que vale a pena investir nesse mercado”, acrescentou.

Evento regional mostrou força, dinamismo e prestígio com posse da diretoria

E foi no Nordeste que a Fenacor deu posse a para o mandato 2018-2022 da atual diretoria da Fenacor, comandada pelo presidente Armando Vergílio – reeleito para o cargo. A solenidade aconteceu durante o 3º Congresso de Corretores de Seguros do Nordeste (Consegne), em Maceió. O evento trouxe para Alagoas o que há de mais novo no mercado de seguros. O presidente fez um discurso analisando as últimas conquistas e prevendo os cenários para categoria, especialmente quanto a aprovação do PL 3139/2015 sobre o funcionamento das associações de proteção veicular.

A força do Nordeste levou ao evento regional a presença de nomes relevantes no cenário do seguro no Brasil, como o superintendente da Susep, Joaquim Medanha; do presidente da Escola Nacional de Seguros, Robert Bittar; do deputado federal Lucas Vergílio; do presidente da CNSEG, Márcio Coriolano; do presidente do Ibracor, Gumercindo Rocha Filho, além de diretores das maiores seguradoras do país. Mais de mil corretores estiveram no evento realizado no Centro de Convenções de Maceió.

Segundo o presidente do Sincor-AL, Edmilson Ribeiro, a posse da diretoria da Fenacor foi um motivo de orgulho indescritível, especialmente por colocar o Estado no cenário brasileiro. “É prestígio, é confiança e também muita responsabilidade. Maceió virou a capital brasileira do seguro com a presença de todas as instituições relevantes do mercado segurador do país”, afirmou. O presidente ainda destacou a forma conjunta como o evento foi organizado, com a presença de 15 estandes das maiores companhias demonstrando que todos estão de olho no potencial nordestino. “A parceria entre os Corretores e Seguradoras tem aumentado e se fortalecido durante anos no mercado de Seguros”, acrescentou.