Seguro Notícias

O seu portal de seguros

Ex-aluno da Ufal será líder em subcomitê de sociedade acadêmica internacional

19 de abril de 2022

A motivação começou na Ufal e agora segue internacionalmente inspiradora. O ex-aluno do curso de Ciências Biológicas, Jadson dos Santos, acaba de ser nomeado co-presidente de um dos subcomitês da Sociedade de Genética da América (Genetics Society of America – GSA). Ele quer ser exemplo de serviço à comunidade científica.

“Como ex-aluno da Universidade Federal de Alagoas e do ICBS [Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde], eu considero a Universidade como tendo o maior impacto em minha formação como pessoa e profissional”, destacou.

Estudar para contribuir com o desenvolvimento de carreira de estudantes de graduação e pós-graduação de baixa renda ajudou Jadson no processo de aplicação para fazer parte do Programa de Liderança em Início de Carreira (Early Career Leadership Program – ECLP), uma iniciativa da GSA.

O programa é anual e os candidatos são avaliados de acordo com seu histórico profissional e entrevistas. Entre os aprovados, alguns são escolhidos para presidirem os subcomitês a partir de suas experiências e habilidades destacadas.

“Fazer parte de uma sociedade científica internacional é um desafio importante em minha carreira, porém traz oportunidades de desenvolvimento pessoal e profissional fundamentais. Eu sou o único brasileiro no programa e estou em uma função de coordenação como co-presidente do Subcomitê de Desenvolvimento de Carreira”, disse, explicando que os trabalhos são para gerenciar projetos, liderar e engajar a equipe internacional do subcomitê.

Jadson é doutorando na Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto e está concluindo o MBA em Gestão de Projetos. Ele também se destacou na escolha da GSA por contribuir há mais de dez anos com o desenvolvimento de carreira de estudantes por meio de um programa nacional de mentoria sem fins lucrativos (SSK Mentoring) que ele mesmo criou.

“Sendo proveniente de região periférica e o primeiro da família a entrar no ensino superior, eu tive poucos modelos de cientistas ao longo da minha formação. A falta de orientação tornava a visão de futuro obscura, o que gerava desmotivação constante”, lembrou como forma mostrar que existe outro lado para olhar: “Ter ultrapassado todos esses desafios e me posicionar internacionalmente é um exemplo de que é possível, mesmo com todas as barreiras que surgem em nossa jornada. Saber que alguém do meu Estado e de uma região de periferia conseguiu, teria sido algo motivador para mim no início de minha carreira. Espero que eu possa, hoje, ser uma luz para as gerações de cientistas em meu Estado e em meu País”.

Sobre a Genetics Society of America

Fundada em 1931, a Sociedade de Genética da América conta com mais de 5,5 mil pesquisadores e educadores em genética de mais de 50 países ao redor do mundo. Dentre as personalidades que já fizeram parte da GSA estão vários vencedores do Prêmio Nobel a exemplo de Thomas Hunt Morgan, Nobel de Medicina, e Barbara McClintock, Nobel de Fisiologia.

No programa que Jadson vai participar, os membros trabalham em equipes para propor, desenvolver e implementar iniciativas que atendam às necessidades da comunidade de cientistas em início de carreira com impacto internacional. Fazem parte do programa, cientistas de universidades como Harvard, Universidade da Califórnia Santa Bárbara, Universidade de Ottawa e Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech).

“Essa minha conquista também é da Ufal e do ICBS. Demonstra que é possível para nós, estudantes nordestinos e de universidade pública, irmos muito além em nossas vidas e carreiras”, concluiu.

Confira aqui a divulgação oficial dos novos membros do programa da GSA.