gratta-180x90

Seguro Notícias

O seu portal de seguros

Em outubro, chuvas e vendavais provocaram mais de 300 quedas de árvores

06 de novembro de 2018

Paraná, São Paulo e Minas Gerais registram casos de danos a imóveis e veículos. Mais de 70% dos seguros residenciais e empresariais contam com cobertura contra vendaval, furacão, ciclone, tornado e granizo

As chuvas e ventos fortes que atingiram várias cidades brasileiras já ocasionaram a queda de mais de 300 árvores durante o mês de outubro. Em cidades dos Estados de Minas Gerais, Paraná e São Paulo, ventos acima de 70 km/h resultaram em destelhamentos e derrubaram árvores que atingiram veículos e imóveis residenciais e comerciais. “Primavera e verão são duas estações em que a incidência de chuvas fortes e ventanias aumenta bastante. Já contamos com um plano de contingenciamento para atender eventuais ocorrências com celeridade”, considera Andreia Paterniani, diretora de Sinistros da Sompo Seguros, empresa do Grupo Sompo Holdings – um dos maiores grupos seguradores do mundo.

A seguradora reforçou as ações das equipes de Experiência do Cliente e Sinistros para atender à demanda de segurados que necessitarem de assistência ou tiverem seus bens danificados pelas chuvas e vendavais.

Por conta da chuva na quarta-feira, dia 31 de outubro, foram registradas, pelo menos 29 quedas de árvores em São Paulo (SP). Já em Campinas, pelo menos 12 árvores caíram em decorrência da chuva acompanhada de vento. Segundo divulgado pela Prefeitura de Piracicaba, as rajadas de vento que atingiram a cidade por volta das 17h de quarta-feira, 31/10, chegaram à velocidade de 79 km/h, segundo dados do Posto Meteorológico da Esalq/USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/Universidade de São Paulo). Até o final da manhã de quinta-feira, 01/11, foram registradas 41 ocorrências envolvendo queda de árvores e galhos.

Em Uberlândia (MG), registros da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros apontam que aproximadamente 100 chamados foram abertos para quedas de galhos ou de árvores no município (incluindo zona rural e nos trechos de rodovias que passam pela cidade) após as chuvas que atingiram o município na quarta-feira, dia 31 de outubro. Os ventos ultrapassaram os 66 km/h, que resultaram em quedas de árvores e muros, destelhamentos, pontos de alagamento, chuva de granizo e panes elétricas em algumas regiões.

Já no Paraná, as ocorrências já acontecem há mais tempo. As chuvas que atingiram a cidade de Maringá nesta quarta-feira, dia 31 de outubro, resultaram em, pelo menos 17 quedas de árvores. Em 18 de outubro, a Defesa Civil da cidade já havia reportado 208 árvores e centenas de galhos caídos, 19 residências atingidas e 13 veículos atingidos. Em Londrina, a Defesa Civil reportou mais de 40 quedas de árvores e um número superior a 80 casas destelhadas em decorrência das chuvas e fortes rajadas de ventos que ultrapassaram 70 km/h na tarde do dia 17 de outubro.

Cobertura do Seguro

A contratação da cobertura que garante eventuais danos em decorrência de fenômenos da natureza como vendavais, furacões, tornados, ciclones ou granizo é cada vez mais comum nos seguros residenciais e empresariais. Mais de 70% das apólices residenciais e empresariais da Sompo contam com coberturas opcionais contra vendaval, furacão, ciclone, tornado e granizo.

Já no Seguro de Automóvel, a contratação da cobertura compreensiva, tem por objetivo indenizar o segurado dos prejuízos que o veículo venha sofrer em decorrência de colisão, incêndio e roubo, abrangendo também os danos provocados pela queda acidental de agente externo que não faça parte integrante do veículo ou não esteja nele afixado e os decorrentes de granizo, furacão e terremoto.

Prevenção

Para minimizar os riscos de danos em virtudes de chuvas e rajadas de ventos, vale observar algumas dicas básicas:

Em casa:

  • Mantenha a limpeza e manutenção dos telhados em dia;
  • Desobstrua as calhas;
  • Mantenha limpos os ralos, esgotos, galerias, valas etc;
  • Retire entulhos dos quintais;
  • Providencie a poda ou corte de árvores com risco de queda nos limites da propriedade do imóvel;
  • Reforce (ou escore) muros e paredes pouco confiáveis.

No carro:

  • Caso a previsão do tempo indicar chuvas e rajadas de vento, não estacione o veículo embaixo de árvores ou placas publicitárias (outdoors) ou próximo a muros;
  • Procure estacionar o carro em locais com estrutura sólida e robusta;
  • Caso seja possível, estacione em locais elevados. Assim, você evita que o veículo seja atingido, caso ocorra um alagamento;
  • Caso esteja dirigindo, mantenha as duas mãos ao volante, a distância do veículo a frente, reduza a velocidade e ligue faróis do carro.

 

Fonte: Assessoria