gratta-180x90

Seguro Notícias

O seu portal de seguros

AMX Corretora de Seguros apóia o Novembro Azul

23 de novembro de 2021

Internação por câncer de próstata cai 16% durante a pandemia

Durante o mês de novembro, a AMX Corretora de Seguros apoiou a causa, orientando seus colaboradores em relação à prevenção e tratamento do câncer de próstata. O número de hospitalizações para diagnóstico e tratamento da doença no setor de saúde suplementar, reduziu de 14 mil para 11,7 mil, entre 2019 e 2020.

As informações divulgadas pelas operadoras de planos privados de assistência à saúde mostram que o número de internações para a realização de diagnóstico, tratamento e acompanhamento de câncer de próstata caiu de 14 mil para 11,7 mil (-16%) entre 2019 e 2020. Os dados estão no estudo especial: “Novembro Azul e o câncer de próstata em beneficiários de planos privados de saúde”, do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), produzido a partir de dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Aimoré Maia, CEO da AMX, afirma que é preciso manter o apoio para todas as campanhas de saúde no decorrer dos meses. “A AMX Corretora de Seguros se preocupa com o bem estar dos nossos colaboradores, consultores e clientes. Estamos engajados nas campanhas de saúde, com a finalidade de promover a orientação e o compartilhamento dessas informações importantes para a sociedade. Seguiremos não só com as ações relacionadas ao departamento de vendas, mas apoiando essas iniciativas que promovem a prevenção e a orientação em relação a como proceder”, explicou.

No intervalo analisado, a quantidade de internações para a realização de procedimentos empregados no tratamento do câncer de próstata, como prostatavesiculectomia radical e prostatectomia a céu aberto, tiveram retração de 6,5 mil para 4,9 mil (-24,3%).

A idade é um fator de risco que deve ser levado em consideração, especialmente porque, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), 9 em cada 10 homens diagnosticados com câncer de próstata no Brasil têm mais de 55 anos. Entre os beneficiários de planos médico-hospitalares do sexo masculino, essa faixa etária mais do que dobrou entre 2000 e 2020, passou de 1,9 milhão para 3,8 milhões.