gratta-180x90

Seguro Notícias

O seu portal de seguros

Acidentes causam perdas de R$ 146 bilhões

08 de junho de 2017

Os acidentes de trânsito não apenas trazem prejuízos financeiros para os envolvidos, danos físicos e tragédias para as vítimas, que ficam com sequelas ou perdem suas vidas devido aos sinistros com automóveis. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, 45 mil pessoas, o brasil é o quinto país com o trânsito mais violento do mundo. Acidentes de trânsito em território brasileiro são piores que guerras e epidemias em qualquer outro lugar do planeta.

Todavia, ainda há um estrago muito grande que é provocado pelos acidentes de trânsito no Brasil, o econômico. O Centro de Pesquisas e Economia do Seguro (CPES), da Escola Nacional de Seguros divulgou uma informação que levanta o interesse sobre os prejuízos subjetivos provocados pelo trânsito brasileiro. Em 2016, 146 bilhões de reais foram perdidos por causa dos acidentes de trânsito. O valor equivale a 2,3% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

A fórmula de cálculo é simples: O número de vítimas, soma-se aos prejuízos provocados pelos danos e multiplica-se pela quantidade de dias trabalhados por vítima que se encontra internada, morta ou incapacitada temporária ou definitivamente. Não existe o custo por uma vida, mas o que essa vida pode produzir com sua força de trabalho, empreendimento ou atuação laboral.

O presidente do Sincor-SE, Erico Melo, fez ponderações a respeito do tema, lembrando que a maioria absoluta das vítimas de acidentes de trânsito, são pessoas que estão em idade para trabalhar e compõem a população economicamente ativa do Brasil.

“O que mais temos visto são pessoas sendo mutiladas ou morrendo, principalmente nos acidentes com motocicletas, vários casos de amputações, mais de 650 mortos em acidentes de trânsito no ano passado, em Sergipe, e isso prejudica não apenas as famílias, mas também a economia como um todo. O estado perde força de trabalho com os acidentes de trânsito, com as mortes e pessoas que ficam inválidas ou internadas por qualquer ocorrência de trânsito. Os acidentes provocam perdas significativas na economia em vários sentidos”, destacou o presidente.

Melo lembrou que cerca de 15 milhões de reais são retirados da economia brasileira, devido aos danos provocados pelos acidentes de trânsito. O presidente destacou que há uma necessidade de mudança de consciência por parte dos condutores de veículos e dos gestores públicos para ajudar a diminuir o número de acidentes nas estradas brasileiras.

“Precisamos despertar a consciência nos condutores, para evitar acidentes nas nossas ruas, avenidas e rodovias. O investimento social por parte do poder público, cuidando de nossa malha viária, para que tenhamos vias mais seguras para transitar. A educação no trânsito também é fundamental. O condutor precisa ter maior noção do que está em jogo quando acontece um acidente, a sua própria vida. Com a conscientização do condutor, mais de 90% dos acidentes podem ser evitados”, lembrou Erico Melo.

Já o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Sergipe, Laércio Oliveira, destacou o quanto a combinação de fatores aumenta o risco de acidentes, gerando mortes de pessoas e danos à economia.

“Quase todos os acidentes de trânsito são evitáveis. Não custa nada andar um pouco mais devagar nas estradas e avenidas, respeitar os sinais de trânsito, evitar a combinação explosiva de álcool e volante, e acima de tudo dar valor à própria vida. O cidadão que se envolve num acidente de trânsito provoca prejuízos não apenas para si mesmo, com os danos causados pelo acidente, mas também à economia com sua ausência no trabalho. O dano é causado não apenas na economia de um modo geral, mas de maneira ainda mais drástica, dentro de sua própria casa, no momento em que fica incapacitado de trabalhar”, disse o presidente da Fecomércio.

Fonte: Sincor-SE

ALE