gratta-180x90

Seguro Notícias

O seu portal de seguros

​​ Como Prevenir Incêndios Causados por Instalações Elétricas

12 de setembro de 2017

A incidência de incêndios causados por curto-circuito mais que dobrou entre 2013 e 2016. Essas ocorrências podem ser reduzidas com a adoção de alguns cuidados simples como não deixar o ferro de passar ligado e evitar ligar vários equipamentos em uma mesma tomada, por exemplo.

A Sompo Seguros S.A., empresa do Grupo Sompo Holdings – um dos maiores grupos seguradores do mundo – apurou que as panes elétricas estão entre as principais causas de incêndio em imóveis tanto residenciais quanto comerciais. “O uso inadequado das instalações elétricas, pode aumentar significativamente o risco e a ocorrência de incêndio decorrente de curto-circuito”, afirma Andreia Paterniani, diretora de Sinistros da Sompo Seguros. “Com isso, os sinistros de incêndio que ocorrem em decorrência de danos elétricos se tornaram cada vez mais comuns”, considera.

Danos Elétricos

Os seguros dos ramos Residencial, Condomínio e Empresariais contam com uma cobertura adicional de danos elétricos, que indeniza o segurado por perdas e/ou danos causados por conta de variações anormais de tensão, curto-circuito, descargas elétricas, entre outras situações que envolvem eletricidade.

Ocorrências

Segundo dados do Anuário Estatístico Brasileiro dos Acidentes de Origem Elétrica 2017, da Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade), houve 1.394 ocorrências de curto-circuito com incêndio entre os anos de 2013 e 2016 no Brasil. O problema é que a incidência anual mais que dobrou e passou de 200 em 2013, para 448 em 2016. Em quase 100% dos casos, o incêndio aconteceu por aquecimento gerado por sobrecarga ou curto circuito. A entidade ressalta que esses números representam apenas uma parcela da realidade brasileira e que a incidência real talvez esteja entre três a cinco vezes maior que o total levantado.

“A boa notícia é que, com algumas medidas preventivas e um pouco de atenção, o risco de incêndio pode ser drasticamente reduzido”, considera Andreia, que listou algumas medidas preventivas para evitar curto-circuito em imóveis:

  • Voltagem! Ao ligar equipamentos, verifique se a voltagem da tomada (127 ou 220 volts) é igual à indicada no manual do aparelho.
  • Emissão de calor: cuidado! Não deixe os aparelhos que emitam calor ligados por muito tempo. Principalmente no inverno, não durma com aquecedores ligados durante a noite toda. Esses equipamentos exigem alta carga de fluxo de energia. Deixá-los ligados durante horas seguidas é muito perigoso.
  • Sempre alerta! Muita atenção com o ferro elétrico. É comum o eletrodoméstico ser esquecido ligado. Além de desperdiçar energia, o ferro ligado pode provocar acidentes.
  • Evite o do it yourself. Instalações elétricas são perigosas e exigem muita precaução e experiência. Conte com profissionais qualificados para deixar a sua casa ou escritório sempre em segurança!
  • Eletricidade e água não combinam! Mantenha sempre os cabos condutores de eletricidade longe de ambientes úmidos, principalmente no banheiro. Evite ligar barbeadores ou depiladores elétricos logo após o banho.
  • Está construindo? Dê as devidas atenções ao projeto elétrico! Garanta sempre a segurança no futuro. Os projetos elétricos garantem a boa distribuição do fluxo de energia – além de evitar más inserções de cabos que podem dar dores de cabeça posteriormente.
  • Faça sempre a manutenção das instalações elétricas. Ao notar uma constante queda de disjuntor em determinado ambiente, procure um especialista. A manutenção das instalações elétricas é bastante importante também para verificar a qualidade dos cabos de transmissões de energia elétrica e reparos nas distribuições pelos ambientes do imóvel.
  • Ao fazer manutenção, desligue o disjuntor. Antes de qualquer manutenção ser feita em sua rede elétrica, certifique-se de que a chave geral (disjuntor) foi desligada.
  • Hora da troca! Em alguns casos, danos ocasionados aos componentes elétricos já evidenciam a necessidade de manutenção. Entre os mais comuns está o derretimento ou queima de parte das tomadas ou interruptores, o que indica a necessidade de substituição imediata.
  • Cuidado com os extensores e réguas de energia. Sobrecarregar a sua tomada com diversos equipamentos eletrônicos pode comprometer a segurança da sua casa ou escritório. É comum utilizar benjamins (T’s), ou mesmo extensões, para ligar vários equipamentos em uma mesma tomada. Esta prática, comum na maioria das casas, causa sobrecarga, aquecimento dos fios, curto-circuito e, por consequência, acontece o incêndio. Portanto, evite ligar mais de um equipamento na mesma tomada.

Fonte: RMA

ALE